terça-feira, setembro 16, 2008

Em Rodopio e Rodopiando...

Amarguras espelhadas, olhos fundos inalcançaveis, mãos que já não sentem, vidas que já não vivem, almas que divagam presas, vultos que correm atrás das suas próprias costas, em rodopio...

O verde ficou amarelo. O rosa ficou esbatido, o branco é pálido e o beje agora é negro. O dia escureceu e a noite nunca foi tão negra.

Visitar o Universo de cada um é fascinante! É esquecer todas as cores, é desafiar o dilema claro versus escuro, é assistir ao convite que é feito ao sol.

A primeira vez que os fito trazem numa trela o desespero aos gritos, carregam nos ombros o peso da amargura e no pescoço trazem o sufoco da angústia. Não fitei nenhum com sorriso, nem a bater palmas, muito menos são acompanhaados por pessoas felizes.

A partir daí começo a assistir ao esboço do 1º sorriso e chego mesmo a ouvir: “ Marisa, é tão estranho voltar a achar graça às coisas!” É... parece que o conceito de alegria outrora fora abandonado para dar lugar à tristeza e como quem convive com coxo aprende a coxear, esta forma de estar passou a ser um estilo de vida com grande resistência à mudança.

A verdade é que oscilando entre dias melhores e dias menos melhores, a mudança vai acontecendo e passado algum tempo, o mais importante do dia para alguns passa a ser “ hoje estou feliz, conversei com o meu filho” ( quantas vezes surgiu esta oportunidade no passado? Quantas vezes esta oportunidade foi substituida? Saberá este pai que o seu filho se sentiu uma criança esquecida, uma criança diferente?), ou então “ hoje sinto-me grato, não estou sozinho, tenho um lugar seguro para dormir, comida na mesa e finalmente a minha familia está em paz”.

Mas esta realidade é ainda provisória e mais realidade vem por aí.

Entre a reconstruçao do sistema de valores, o olhar para a insanidade e a reaprendizagem do limite, vivem-se em tratamento momentos de crescimento até ao 1º bater de palmas – o fim do internamento e a “ exposição ao vivo e às cores”.

Ah, passado algum tempo muitos são aqueles que fito mas agora trazem o sorriso no rosto, deixaram as mãos livres para bater palmas, trazem consigo pessoas felizes, o verde é fluorescente, o rosa é choque, o branco é vivo e o beje ameniza um cenário que por vezes se confunde, se questiona mas que não deverá impedir que cada um continue a caminhar trazendo na trela e alegria a cantar, nos ombros o peso da rsponsabilidade e no pescoço o cordão pendurado de uma vida que só por hoje “ é melhor”.


Marisa Ceriz
( Psicologa e Técnica Superior de Aconselhamento Psicossocial)
marisaceriz@hotmail.com

Comentario: Queria manifestar a minha gratidão pela participação da Dra Marisa Ceriz no nosso blog e pela sua dedicação e empenho genuino à Recuperação dos Comportamentos Adictivos. O meu Bem Haja iluminado

11 comentários:

Anónimo disse...

Um texto lindo de uma pessoa linda! Parabéns,está fantástico!

Ricardo

Anónimo disse...

D.ra Marisa, li o seu documentário, e, quero por este meio elogiá-la pela forma como se manifesta durante todo o texto, inclusivé como intitula o mesmo.
A D.ra é sem dúvida uma terapeuta original. A sua extrema sensibilidade, tão inusual nos dias de hoje é um HINO à humanidade.
Elogio-a, aplaudindo-a, pois presentemente já tenho também as minhas mãos livres para o poder fazer.
O meu bem haja.
Elisabete Assunção

Anónimo disse...

Neste texto está bem descrito o sofrimento que cada um tras consigo aquando da entrada num centro. Eu infelizmente (ou felizmente), sei bem o que se sente quando se entra para um sitio em que o objectivo é apenas um: RECUPERAR A LIBERDADE!!! Sim, liberdade, esse estado que o ser humano tanto necessita. Liberdade de escolha, o não estar preso a nada, o poder escolher todos os dias, todas as horas e minutos aquilo que se quer para a vida.
Obrigado Marisa por toda a ajuda que me deste, e por tal como dizes contribuires para o meu sorriso voltar a ser visto.
Um forte abraço. Rui Pimentel.

Gustavo disse...

Não basta somente acreditar, arregace as mangas e vá a luta ,depende só de si!!
...e de mais alguém... (Marisa) :)

Ass: Gustavo

Anónimo disse...

Verdadeiramente vivido, sentido, e com muita identificação, o que faz com que as cores e imagens se tornem vivas bem como a mensagem nela transmitida por uma pessoa lutador, cheia de força, e com um coração do tamanho do mundo. Lembro me de ti muitas vezes sabes?"put ur hands up in the air!":)Trago o q vivemos sempre comigo.Abraço forte, Ju

Rosa disse...

Olá Marisa (Dª Marisa). Continuo uma pessoa com muitas dúvidas mas feliz com isso e logo que comecei a escrever o senti. É que de tanto que ouço o seu nome sinto-a tão próxima e familiar que me é natural omitir o Dª. Por outro lado recordo-a como a profissional presente, atenta, empenhada e competente que ficará para sempre nas nossas vidas, pelo caminho de recuperação que tornou possível iniciar, não só a um adicto fácilmente identificado, mas também aos que directa ou indirectamente estão com ele nesta jornada, e que crescem de cada vez que param, olham, sentem e percebem o quanto eram estranhos numa morada sua. Não acredito no sofrimento como um mal necessário para o crescimento e a nossa elevação,mas sinto-me bafejada por ventos ímpares que me acordam, me acariciam, me arrepiam e sobretudo me fazem sentir viva e melhor. Ter dúvidas continua a dar-me a certeza de que estou no caminho certo , desde que elas não sejam constantes, porque eternas serão concerteza e eu só quero continuar a viver com a coragem, a serenidade e a sabedoria de crescer com elas.Fácil não é concerteza, mas quem disse que gostava de coisas fáceis e quem tem dúvidas que a prioridade é conhecermo-nos e aceitarmo-nos com todo o nosso património de ilusões e delírios, medo e cobardia, ressentimentos e raiva.Ser feliz por agora e com o que me é possível agora, sem complicar...E lá estou eu aperder-me.
Bem! É claro que consultei o blog e li o texto que achei lindo mas que não me é surpreendente.Transparece parte da pessoa e da profissional admiráveis que é possível ver.
Um abraço muito apertado e até sempre.
Rosa Perez

Liliana disse...

Marisa adorei o teu texto! Fez-me identificar com muitas coisas que descreveste, fez-me recordar tantos momentos que passamos juntas, desde o primeiro dia que te vi... És uma mulher espantosa que sempre admirei, és a amiga que nunca tive.. Devo-te muito da alegria de viver que hoje sinto dentro de mim e de tudo o que vou conquistando aos poucos e pensei eu, outrora, jamais ser possivel alcançar. Parabéns por este lindo texto e desejo-te tudo de bom! Um xi coração bem apertado daqueles que sempre tão bem me soube dar-te!! Liliana

joao novais disse...

Olá Marisa, é com grande orgulho que te vejo expressar desta forma sobre um tema em que tanto investes, tambem realçar o magnifico ser humano que és e que á muito se revelou no dia a dia, continua .........

José Carneiro disse...

Olá Marisa. É muito o orgulho que tenho em ter conhecido uma pessoa como tu - forte, determinada, incansável e acima de tudo humana. É com muito agrado que vejo que esse teu árduo trabalho não é em vão e que tem resultados tão belos. As pessoas que ajudam também necessitam de ser ajudadas para conseguirem enfrentar o dia a dia. Daí que deixo estas palavras como sinal de alento e de vitória!

José Carneiro disse...

Olá Marisa. É muito o orgulho que tenho em ter conhecido uma pessoa como tu - forte, determinada, incansável e acima de tudo humana. É com muito agrado que vejo que esse teu árduo trabalho não é em vão e que tem resultados tão belos. As pessoas que ajudam também necessitam de ser ajudadas para conseguirem enfrentar o dia a dia. Daí que deixo estas palavras como sinal de alento e de vitória!

A. Perez disse...

Marisa,este meu comentário,tardio,vem confirmar que não me tornei num ser perfeito,mas desde que tive o previlégio de o destino nos unir, nesta vida de incertezas,me tornei sem duvida num ser humano melhor,no entanto consciente de ter metido pés ao caminho num longo percurso a fazer, do qual não tenho duvidas se tornar bem menos árduo por te sentir constantemente presente na minha vida.
só tu sabes o receio que tenho em poder gritar ao mundo o quanto te admiro e te adoro,seja como terapeuta,mulher,ser humano,...
Não mudes nunca,a não ser que seja para melhor-custa acreditar que isso seja possivel :)

ABRAÇO FORTE!

A. Perez