sexta-feira, março 26, 2010

Da Abstinência à Recuperação da Adicção Activa

EuRecuperação





O conceito de Abstinência
Para aqueles homens e mulheres, que identificam nas suas vidas, sinais e sintomas dos comportamentos adictivos (drogas lícitas, incluindo o álcool e a nicotina, e as ilícitas, jogo, sexo, nicotina, compras - shopaholicsshoplifting - furto, relações disfuncionais e dependencia, distúrbio alimentar) geradores de sofrimento, estigma e negação, isolamento social, ansiedade, depressão e impotência urge inverter esta tendência progressiva, compulsiva e definir uma estratégia realista e exequível onde todos os recursos humanos disponíveis são importantes. Numa primeira fase, interrompe-se a progressão da adicção activa. Depois desenvolve-se um conceito de abstinência (fecha-se um ciclo vicioso e adictivo).

Após um período de interrupção da progressão activa (doença) inicia-se a abstinência dos comportamentos adictivos. Nesta fase, é um período de adaptação, reconsideração, transformação, renovação e conquista da confiança entre o passado e o presente –Algumas pessoas questionam-se “Depois desta experiencia dolorosa o que é que faço à minha vida?

Para caracterizar esta fase, por ex. oiço histórias de indivíduos que apresentam problemas com o álcool e/ou drogas onde após uma noite de bebedeira/pedrada, no outro dia de manhã, acordam e encontram um bilhete do parceiro/a… “Ontem à noite senti-me desrespeitado/a pelos teus comportamentos…estavas uma lastima... senti-me envergonhado/a. Como sabes já não é a primeira vez… nem a segunda…prometes dúzias de vezes que deixavas de fazer este tipo de coisas. Ontem foi a última gota…Para mim…chega. Adeus”. Conheço alguns adictos/as, que quando são confrontados com esta realidade, ficam em pânico. Não se lembram de nada, nem daquilo que se passou…nem onde estiveram.

Após este incidente grave tomam uma decisão seria e “radical” (promessa). Afirmam “João, nunca mais bebo uma gota de álcool. Sinto-me um traste e um hipócrita…Chega.

Recuperação Duradoura
A Recuperação Duradoura inicia-se quando se constata, que afinal não basta parar de beber (abstinência), é precio sair da zona de conforto e enfrentar o desconhecido, mas como é que isso se faz? Perante esta ambivalência é preciso definir um Rumo diferente de vida baseado em pessoas significativas, lugares, coisas e valores morais baseados na abstinência e nas competências da Arte de Bem-Viver.


Durante a fase da Abstinência inicial, da privação e da restrição, o passado não foi ultrapassado, o luto ainda é ignorado, a “despedida dos velhos e disfuncionais padrões e crenças” não foram reconsideradas e ou assumidas  (perdoado/emendado). Parece que foi tudo reprimido pela vergonha e valorizado pelo ressentimento, pelo orgulho, pelo ego “frenético” e pelo sentimento de culpa. Após este período de privação e restrição (abstinência), onde a força de vontade prevalece; a promessa de recuperação permanece em aberto e “não pode ser quebrada”.

A fase da Recuperação Duradoura é um fenómeno ainda que permanece desconhecido e ignorado em Portugal. É um novo ciclo de mudança no Rumo da Vida do indivíduo, impulsionado pelo discernimento, auto eficácia e a motivação em não voltar aos mesmos erros e crises do passado, aos consumos de drogas licitas, incluindo o álcool e a nicotina, e as ilícitas, pelo trabalho interior e ajudar os outros pelo exemplo e experiencia, sem falsos moralismos.  A recuperação representa a Arte de Bem-Viver, a espiritualidade, não religioso sem dogmas e divindades, e a integração na família e na sociedade. Como o tipo que deixou de fumar, que após várias tentativas “dolorosas” ao longo dos anos finalmente interrompe o consumo de nicotina, inicia o exercício físico de uma forma regular, adopta um regime alimentar mais saudável e decide criar uma associação para ajudar as outras pessoas com o mesmo problema.

Recuperação Duradoura não tem um limite, meta ou período definido, não é uma cura, procura da perfeição ou do controlo. É um Rumo onde a orientação espiritual, não religiosa sem dogmas e divindades, é uma prioridade reconfortante, uma escolha gratificante, inspiradora, não julgativa, tolerante e flexível, geradora de capital humano e de auto-estima. Almeja-se não voltar aos mesmos hábitos e comportamentos do passado e contempla-se a recaída, como um problema, e uma experiencia a ser evitada. Vive-se o presente onde o grande investimento centra-se na monitorização e auto-avaliação (ex. disciplina, responsabilização, compromisso e orientação espiritual, não religioso sem dogmas e divindades) e nas relações significativas (capital humano) com outras pessoas. Um indivíduo que atinge a Recuperação Duradoura não faz mais do que ser responsável, só assim evita a negação e o estigma.

Quais os benefícios em um indivíduo adicto/a permanecer em Recuperação Duradoura como um membro dinâmico da sua família? Um membro dinâmico na sua comunidade? No seu local de trabalho?
Na minha opinião, é considerado um mentor, um “modelo”, um/a sobrevivente e uma referência. Um ser humano, cujo potencial foi submetido a adversidade e ao trauma que atingiu a liberdade de escolha e de expressão, o direito a uma vida plena, digna e cuja orientação espiritual o impele a ajudar os outros. Não em benefício próprio (ego frenético e exigente), mas da Recuperação.

"I Love" Recuperação

3 comentários:

Anónimo disse...

Eu peço desculpa pelo que vou dizer...nao o quero assustar porque aqui a unica pessoa assustada sou eu! Sofro de bulimia nervosa desde os 15, hoje tenho 20...entre oscilaçoes assustadoras de peso, humor, recuperações seguidas de recaidas...eu sinto que não tenho mais forças! Sinto-me completamente perdida, inútil...como se tivesse 2 vidas dentro de mim, uma social, simpatica, divertida e outra completamente só e perdida! Eu tenho consciência que tenho de ter ajuda mas como? Ir a um medico sozinha parece tão estranho...e a que médico? Contar aos meus pais? Eles já sabem e ignoram completamente...namorado...nem pensar nisso! Seja a quem for, contar está fora de questão...tenho de desembaraçar-me disto sozinha...não tenho outra forma. E se eu não consigo...só penso que quero ser magra e não consigo, que sou assim porque quero, vomito porque quero...uma parte de mim quer curar-se a outra quer ser magra! E quando estou mesmo no fundo, penso em matar-me...até sonho com isso á noite, quando corre tudo mal: como vomito e tenho pensamentos sobre "como vou acabar comigo! Que nao mereço viver...que nao vou sair do buraco...sinto-me tão desamparada=( onde posso pedir ajuda? Vivo no porto...obrigada e desculpe...

JOÃO ALEXANDRE de SOUSA RODRIGUES disse...

Bom dia
envie uma mensagem para xx.joao@gmail.com.
Todos os dados são confidenciais.
João Alexandre

Catarina Brás disse...

Olá João , bom dia.
Dentro do conceito de Recuperação Duradoura , e do reconhecimento das " garras do Ego", sofro de múltiplas recaídas em Defeitos de Carácter, ao fim de 4 anos de abstinencia e de vivencia diária c os 12 Passos .
Confesso , que a minha frequencia de reuniões já não é a mesma e que de momento estou sem madrinha .
Sinto -me "sugada pelo Vórtice da auto-suficiencia " e a minha Tolerancia ´para com os outros baixou.
João , o que lhe venho propôr é o desafio de um dia destes nos falar disto mesmo.
De Defeitos de Carácter.Como reconhecê-los e como trabalhá-los.
Bem Haja.