quarta-feira, maio 19, 2010

A Recuperação Duradoura não pode ser a meta, mas a auto-realização. Um dia de cada vez


Entrei em Recuperação através do Programa dos 12 Passos[i] com 22 anos. A partir desse momento a minha vida parecia começar. 


Finalmente senti o que era fazer parte de algo, sentia amor pelo que me rodeava e recebia de volta o mesmo amor.

Acompanhada, construí amizades, arranjei a minha primeira casa, construí uma carreira, iniciei uma relação e recebi a maior dádiva – o meu filho.


Fui construindo um “Castelo de Areia”, cada vez maior mas onde cabiam cada vez menos pessoas, princípios, amor mas quando dei por terminado o meu sonho, olhei à volta, estava sozinha! Escolhi construí-lo sozinha e prestes a fazer 30 anos recaí em álcool e passado um ano em drogas.

Já não era uma adolescente, tinha que manter responsabilidades a qualquer preço, uma imagem a qualquer custo e o custo que escolhi foi beber mais e usar mais drogas. Dia após dia o meu “Castelo partia-se em cacos”. A imagem que tenho de mim é sozinha, na cozinha, a beber e a usar drogas a noite inteira, cheia de medo que os meus filhos acordassem.

Após 5 anos, e já sem “Castelo”, as amizades que fiz em Narcóticos Anónimos[ii] deram-me a mão, salvaram a vida dos meus filhos.

Estou a “apanhar os meus cacos”, a dar um propósito à lição que ganhei sobre as minhas escolhas, só por hoje, sempre com a ajuda dos 12 Passos e do meu Deus (ou Deusa!) As reuniões de NA são hoje “solo sagrado.”

O meu desafio é ser melhor Mulher, melhor Mãe, melhor Companheira, melhor Amiga. Aprendi que o “Castelo” é a manifestação da minha doença, não me protege e não me faz sentir o Amor – afasta-me dele.

O meu desafio é ir devagar (para não tropeçar…mais!) e acima de tudo viver em Verdade comigo, em sintonia com a vida tal como é. Isso  acredito que é possível com os 12 Passos de Narcóticos Anónimos!
Obrigada pela oportunidade!

Anónima




[i]  12 Passos – Programa de Recuperação utilizado pelos Alcoólicos Anónimos desde 1972 em Portugal e 1935 nos EUA. A seguir sucederam-se vários grupos de ajuda mútua que utilizam os 12 Passos (ex. Narcóticos Anónimos, Emocionais Anónimos, Famílias Anónimas, Nicotina Anónimos, Trabalhadores Compulsivos Anónimos,  Adictos à Comida Anónimos, em Portugal).
[ii]  Narcóticos Anónimos – Grupo de ajuda mútua onde indivíduos dependentes de substâncias adictivas (lícitas e/ou ilícitas) se unem de forma a manterem a abstinência e em Recuperação Duradoura, em Portugal desde 1985.

Comentário: Admiro a coragem desta Anónima, pela sua honestidade e inspiração, por retornar à abstinência e à Recuperação. Não é uma derrotada, falhou nas suas escolhas. Afinal, esse fenómeno não é só comum na Adicção, é Humano.
Mais uma vez Parabéns e Recuperar É Que Está a Dar.

Um/a dependente em Recuperação é por si só um feito "gigante". Em termos sociais representa uma mais valia quer seja para o individuo, para a família, incluindo as crianças, o trabalho e a sociedade.

Como profissional, trabalho na área das Dependências (Comportamentos Adictivos) e admito o desafio que representa, para todos os profissionais como para o individuo dependente, o tratamento da Adicção activa, assim como, manter-se em Recuperação...Duradoura.

Percursos: Nuno Sousa e efeitos do stress prolongado

Siga o link e saiba mais sobre os efeitos do stress prolongado
Percursos: Nuno Sousa e efeitos do stress prolongado

World Hepatitis Alliance


domingo, maio 16, 2010

Filhos Adultos de Pais Adictos no Activo

As crianças também são afectadas pelas consequências dos Comportamentos Adictivos (drogas lícitas, incluindo o álcool e a nicotina, e as ilícitas, o jogo, relações de dependência, distúrbio alimentar, shoplifting - furto, sexo, compras - shopaholics). Aos olhos das crianças os pais são seres idoletrados e "perfeitos"...neste sentido podem estar vulneráveis, e serem negligênciadas, e em alguns casos são vitimas de abuso emocional, físico e sexual. Algumas crianças adaptam a disfuncionalidade e a insanidade ao longo das suas vidas desestruturadas. 


Conheço adultos, que foram filhos de pais (pai ou mãe ou ambos) dependentes de substâncias psicoactivas que ainda sofrem em silêncio as agruras da Adicção activa dos pais. A vida para alguns deles é sinónimo de sofrimento, ilusão, rigidez de pensamento (controlo). Em muitos casos essas crianças, quando adultos envolvem-se em relações disfuncionais, de abuso e de dependência.

Desde cedo os filhos de pais adictos no activo perdem a inocência, a espontaneidade e a auto estima.


Se você é filho ou filha de pais adictos conte a sua historia e envie um email para xx.joao@gmail.com.
Todos os dados pessoais são confidenciais e tratados com o máximo sigilo.
Recuperar É Que Está a Dar

quinta-feira, maio 06, 2010

(Re)nascer das Cinzas



Desde muito cedo, a falta de alegria e o ressentimento justificado tornaram-me uma pessoa sensível. De certa forma o exterior (amigos, ambiente) também contribuiu para uma situação delicada (risco acrescido) motivado pela compulsão e a obsessão pelas drogas. O resultado foi imensas falhas ao longo do meu crescimento, como criança e depois como adolescente.

Após ter conhecido Narcóticos Anónimos[i] (NA) e entrar em contacto com a minha realidade (historial passado e presente) considero que me anulei com amor doentio (orgulho desmedido) e falta de uma alegria honesta, todavia o processo disfuncional continuou sempre presente (falhas). Depois de 20 anos, limpo e sóbrio[ii], mas sem alegria e “alimentando” o ressentimento justificado (magoa e frustração) levou-me sem justificação à recaída.

Na altura que escrevo este texto, voltei a NA e já passaram 89 longos dias de abstinência. Sinto-me a despertar para uma nova vida e a viver o só por hoje (Um dia de cada vez) com outra intensidade, alegria, com um sorriso nos lábios e disponível para dar abraços como se fosse o ultimo. É único. 
Nesta altura, consegui adquirir uma “luz” que orienta o Rumo da minha vida.

segunda-feira, maio 03, 2010

Rostos, Vozes, Ideias e Experiências - Capital Humano

O conceito acerca da Recuperação abrange todas as Adições (drogas lícitas, incluindo o álcool, a nicotina, e as ilíctas), Jogo, Sexo, Trabalho, Distúrbio Alimentar, Compras, Shoplifting, Relações de Dependência, Trabalho,mas aquilo que realmente importa são as pessoas (Capital Humano). 

Através das relações com outras pessoas valorizamos a importância dos vínculos e dos laços (espírito de equipa) e adquirimos uma perspectiva vasta, misteriosa e profunda daquilo que SOMOS capazes de atingir. Por exemplo, quando existe uma tragédia num determinado país do mundo, milhares de pessoas mobilizam-se para ajudar na transformação e "renascimento das cinzas". O fenómeno da Adicção veio para ficar e afecta milhares de portugueses, incluindo as crianças vulneráveis. 

Porque é que procuramos parceiros amorosos? Porque que determinadas pessoas (família e amigos) são o nosso "tesouro"?
Quando estamos em dor ou angustia, porque é que precisamos de pessoas?

As pessoas significativas estão lá para nós (presentes) quando não conseguimos ser tolerantes, ser compreensivos, justos e responsáveis connosco mesmo. As pessoas significativas são o balsamo, o equilíbrio e o "espelho" da nossa imperfeição e humanidade. Somos seres gregários.